Header

XV ENFRENTA O NOROESTE EM BAURU

XV DE PIRACICABA

POR MAURO ADAMOLI –ORIGINAIS DA BOLA– (REDAÇÃO PIRAMUNDO)

O XV de Piracicaba enfrenta o Noroeste neste domingo (21), às 10h, no Estádio Alfredo de Castilho, em Bauru, pela quinta rodada da primeira fase da Copa Paulista 2019. O Nhô Quim, invicto há oito jogos, juntando A2 e Copinha, tem duas vitórias e dois empates e soma oito pontos, enquanto que o Norusca, com uma vitória e três derrotas, tem três pontos. Atibaia e Rio Claro jogam em Americana, simultaneamente à partida do XV, enquanto que Velo e Inter jogam na sexta-feira (19).

Mesmo com aproveitamento superior à equipe de Bauru (66,6% a 25%), o técnico do XV, Tarcísio Pugliese disse que será um jogo difícil. “Diferentemente do que falei do Velo, na semana passada (na parte de baixo mas jogando bem), a situação do Noroeste é diferente, já que eles não vem jogando tão bem, mas vem criando dificuldades para o adversário, já que o Rio Claro, que é uma equipe forte só venceu em casa por 1 a 0 e também me preocupa pelas características de jogo, já que não podemos vincular a nossa forma de jogar ao adversário. Temos que ter um muito cuidado para não mudarmos o ritmo e a intensidade do jogo em razão do adversário, já que se não tivermos cautela sobre isso, teremos problemas”, explicou Tarcísio.

Ao ser perguntado sobre a pressão que a torcida do Noroeste exercerá sobre a própria equipe, Tarcísio disse que ainda não sabe como será. “Não sei exatamente como está o Noroeste, porém pelo que vimos, a situação lá está complicada, então não sei que tipo de cobrança virá da torcida que tem lá. Pela expectativa em torno do Noroeste, acho que não podemos esperar algo diferente do que está acontecendo agora, já que o investimento é baixo. Mas nós sabemos que o futebol é complicado em razão da cobrança exagerada em situações que não se tem estrutura, nem condição de se entregar o que se espera e é essa imagem que tenho do Noroeste hoje e levando isso em conta, não sei se existe muita pressão lá”, explicou.

Durante a semana, Tarcísio perdeu o lateral Robertinho, que se machucou e ficará aproximadamente três semanas fora da equipe. “Ele (Robertinho) é muito vibrante e isso contagia a equipe, além do entendimento do jogo. Porém entrará o Anderson, que também tem qualidade, está sempre treinando forte e agora buscará o seu espaço e terá mais sequência, infelizmente em razão da perda do Robertinho”, disse o treinador, que também comentou as situações dos outros machucados. “O Hiroshi ainda está sem condições, está com os preparadores físicos e acho que ainda irá demorar entre três ou quatro semanas para voltar a jogar. Acredito que o Rafael Mineiro volte antes, possivelmente deverá estar no banco em dois ou três jogos. Porém o Hiroshi está mais distante e o (Lucas) Formiga mais distante ainda”, disse.

Ao ser questionado sobre o horário do jogo, Tarcísio disse que não gosta de jogar no período da partida diante do Noroeste. “Como jogamos na sexta à noite e os jogos estão bem intercalados, já que é sempre casa, fora, casa, fora; fica difícil de ajustar a nossa programação da forma que jogamos, então atrapalha um pouco”, disse o técnico, ressaltando que é mais difícil o jogador entrar motivado neste horário. “Jogo às 10h é mais difícil de mobilizar os atletas. Li uma matéria nesta semana sobre essa situação que é difícil de ir a torcida neste horário, e o atleta também é um ser humano. É complicado jogo às 10h, e ele acordar às 6h15 motivadíssimo, ligado, então é difícil, não apenas para nós, mas também para o adversário”, completou.

Por fim, o treinador falou sobre a evolução da equipe após as quatro primeiras rodadas. “O time ainda precisa evoluir como um todo, por outro lado, mesmo abaixo do que pretendemos chegar, estamos jogando melhor que o adversário, somos o líder da chave e estamos com expectativa de crescimento durante a competição”, explicou Tarcísio, que ressaltou que a equipe já poderia estar jogando melhor. “Não estivemos bem em todos os jogos, porém jogamos melhor que o adversário e isso é bastante positivo. Tanto nós da comissão técnica, quanto imprensa, jogadores e torcida, estamos cobrando bastante em razão do que vimos na A2 e acho natural e positivo isso. Mas com essa expectativa do time, em conseguir vencer e conseguir ser líder e acho que tem vários valores positivos nisso”, explicou.

No ano passado, XV e Noroeste se enfrentaram duas vezes na Copa Paulista e os dois jogos terminaram empatados, tanto em Bauru (1 a 1, gol de Samuel Balbino), quanto em Piracicaba (2 a 2, gols de Cássio Gabriel e Marcelo Fernandes). A última vitória quinzista em Bauru foi na Copa Paulista 2010, quando venceu por 1 a 0, gol do falecido Fábio Santos.

RÁDIO PIRAMUNDO COM OS ORIGINAIS DA BOLA.
AQUI, O FUTEBOL VAI ALÉM DAS QUATRO LINHAS!

0

ASSINE PARA RECEBER NOVAS PUBLICAÇÕES

1